23 setembro 2007

Pequenas alegrias

Chegar em casa a noite e encontrar uma amiga querida, cheia de encantos e charme. Botar a conversa em dia, contar casos e resenhas, tristezas e coisas boas, acontecimentos e decições... simplesmente delicioso.

Depois de muito papo, alguns cigarros e inumeras risadas, um jogo de buraco que var a noite. è preciso dizer que não ganhei a partida (mas foi por pouco... rs).

Cansado, sim, estou. Ainda mais que ontem foi dia de faxina pesada e caprixhada, mas a alegria dessas pequenas coisas me fazem esquecer do cansaço, do sono e das coisinhas ruins que nos acontecem ou das quais ficamos sabendo.

Hoje é domingo, e mais cedo ouvi o amanhecer ameno de um dia de Conquista... os galos cantando, os passaros ajudando na canção e o silêncio da cidade que ainda dorme, exceto por alguns latidos e motores ao longe que me fazem voltar ao mundo real.

Vi o céu azul despontar por entre as nuvens que o vento griava veloz.

A promessa é que o dia seja gostoso... Oxalá! Que assim seja!

19 setembro 2007

A alguém, que não sei quem...

Serei direto: quero você aqui, comigo.
Quero provar-lhe os lábios
Experimentar-lhe o corpo
Saciar-lhe os desejos

Quero saber-lhe os sentimentos
Sentir-lhe o olhar
Roubar-lhes beijos e pensamentos

Mas como fazer isso?
Por onde começar a procurar?
me responda, lhe peço...
Por que a mim ainda não quis se apresentar?

Será que por mim você já passou
e eu na ignorancia e egoísmo lhe deixei escapar?
Me diga, a gente já se encontrou?
Volte, preciso que me ensine a amar

Em meio ao desejo eu me perco
Me responda ao menos se vc existe
Não o vejo, não o ouço, não o percebo

Venha, surja por entre nuves e perfumes
Encanta-me, arrebata-me, sacia-me...
Ouça o clamor dessa alma perdida, cura-me
Encha a escuridão solitária de vagalumes

Simplesmente, quero você aqui, comigo...
Ocorreu um erro neste gadget