24 agosto 2007

Colcha de retalhos

Acredito que todos saibam o que é uma colcha de retalhos, o nome eh auto-explicativo... rs.

Pois bem, as vezes me vejotal como uma: construção costurada de várias partes. Algumas delas de origem "nobre", tecidos finos. Outras, já nem tanto, mas ainda ssim com uma bela estampa. Já outros, com um tecido inferior, mas que, para alguns, têm harmonia com o conjunto. Mas há aqueles retalhos de fazenda ruim e ainda com uma estampa horrível.

Todos eles, por mais diferenças que tenham na qualidade, tamanho, disposição, beleza, etc, fazem parte de um todo maior. Se um deles faltasse, já não estaria completa a peça.

As vezes, um ou outro retalho, por conta do tempo, das lavagens, do trato, enfim, muda e dá um outro aspecto à colcha. Só percebe quem com ela lida constantemente. POr essas e outras, de vez em quando é necessário remendar ou colocar outro pedaço de pano para preencher o lugar. Ah... lembro que a costura tem que ser feita no capricho, senão, com qualquer coisinha, a peça se desmancha.

São retalhos de lembranças e memórias, ensinamentos e aprendizados, perdas e gnhos, locais, pessoas, situações, experiencias, sentimentos, aromas, sabores, sons, cores, humores... são retalhos (de retalhos) que constroem a mim.

E, na verdade, gosto muito disso. Parodiando uma canção, prefiro ser essa colcha de retalhos do que ter aquela velha (e imitável) aparência de uma colcha comum.

OK. Sei que a "paródia" ficou péssima, e se você não percebeu, a música diz assim: "prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo". (que inclusive já usei em alguns dos textos aí de baixo)

Agora proponho uma reflexão. Como você se enxerga? uma colcha de retalhos ou uma comum? E qual a aparencia? Gosta do que vc vê? Mudaria alguma coisa? O que?

Pense e responda a si mesmo (e a mim tb, é claro... rs... sou curioso!)

Enquanto isso, vou seguindo sempre com minha colcha, retalhos encontrados pela estrada, agulha e linha, completando e mudando o que não cabe.

Espero que no final, quando não mais puder mexer nessa peça, as pessoas se lembrem e digam: "Que bela colcha de retalhos ele construiu! Sentirei saudades. Onde quer que esteja, que a beleza dela e seus retalhos únicos sejam vistos, reconhecidos e imitados!"

P.S.: Espero a resposta, viu?!

01 agosto 2007

Em 28.7.07

Tarde de sábado. Cinzenta. Som de Luciana Mello...

Uma estranha paz me invade
Será pré ou pós tormenta?
Não sei...
E não quero Saber!
Quero a paz
corpo espírito
toque de Deus
felicidade instantânea
momentânea
sons tons canções amor (dor)
swing melodia soul rock pop

Sol!
preguiça vontade ação

Palavras caneta papel
expressão liberdade
direção regra modelo nenhum

Vivas palavras ao sabor de brisas e Vendavais!
Ocorreu um erro neste gadget